Educação
24 de agosto de 2011 por pontoeletronico

Você sempre sonhou em ter uma educação Ivy League, mas não conseguia nem comprar um daqueles moletons falsificados de Harvard?

Agora você pode. Sem pagar nada e nem sair do seu pijama.

Uma tentativa em educação em rede — onde professores e alunos não são necessariamente no mesmo lugar e as lições envolvem o uso da tecnologia — A Stanford University está abrindo um curso de 10 semanas, Introduction to Artificial Intelligence, para todo mundo a partir de outubro. Cerca de 130.000 pessoas já se inscreveram (esse numero foi a ultimo quando conferimos no site).

Sebastian Thrun and Peter Norvig ensinam o curso e você ganha sua primeira estrelinha se reconhecer esses nomes. Norvig é diretor de pesquisa no Google e um Fellow do Association for Computing Machinery, e Thrun é um professor de pesquisa de ciências da computação em Stanford e é reconhecido para seu trabalho no robotics e machine learning.

Então, a democratização de educação ja chegou, e quando vemos uma instituição tão grande e tradicional como o Stanford abrindo as portas de um jeito não convencional, temos que acreditar que eles sabem exatamente o que estão fazendo. Claro, não é todo mundo que pensa assim, como os comentários no Slashdot mostram quando foi anunciado que dois outros cursos também vao ser liberados.

Mas imagina como o mundo de educação pode mudar se mais faculdades liberarem acesso as suas aulas. Tudo bem, não precisa liberar tudo, mas um grupo de aulas já seria bem interessante. O argumento contra isso é as matriculações e qualidade nas faculdades com prédios físicos podem diminuir, mas na verdade, a abordagem de Stanford tem muito a ver com a teoria por detrás da Wikipedia: Tudo mundo tem acesso igual para corrigir um artigo, e por isso, só os fatos comprovados vão colar; na educação em rede, só quem for  verdadeiramente interessado no curso vai aproveita-lo e isso vai ajudar a melhorar a qualidade do curso  e por consequência, contribuir para o desenvolvimento de  um sistema melhor.

Como funcionaria essa locura? Veja abaixo:

Em breve será possível se cadastrar para o curso no site, a primeira aula está programada para 10 de outubro.

O grau de exigência para os alunos virtuais será o mesmo para os alunos de Stanford. Você precisa ter um background sólido em matemática e ciências. Além disso, os professores esperam que você entregue suas lições e participe das conversas online, e sim, vai ter testes e prova final. Essa iniciativa não pode sería possível se não houvesse suporte tecnológico de outras empresas, de acordo com o  New York Times, os professores vão depender no cloud no Amazon para ajudá-los a monitorar as notas dos estudantes e vão utilizar um serviço de moderação do Google para interagir com alunos online.

Confere o roteiro de aulas para saber se o curso vai combinar bem com você.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>