Nada a Ver
18 de dezembro de 2012 por marimessias

Nossos favoritos de 2012

Cada um de nós escolheu seus discos, filmes, livros e seriados favoritos de 2012. E como curtimos quebrar a barreira do tempo, também escolhemos coisas que marcaram nosso ano, mas que não são exatamente o lançamento mais recente. E vocês, ja fizeram suas listinhas de fim de ano?

OS MELHORES DO  Vinícius:

Disco: Eu ia chutar cachorro morto e elogiar o Frank Ocean, mas então decidi que vou falar do “Long Black Cars“, o cd novo dos Wave Pictures. É mais do mesmo que eles fizeram nos outros discos, letras engraçadinhas e bons refrões. É daqueles cds que tu não leva tão a sério até perceber que sabe cantar todas as músicas.

Livro/HQFesta no Covil é um livro curtinho (tem nem 100 páginas) e é a primeira publicação do mexicano Juan Pablo Villalobos. O protagonista e narrador da história é Tochtli, uma criança filha de um barão do tráfico, em uma busca por um hipopótamo anão da Sibéria. O livro é engraçado, sombrio e inocente. Parece que o escritor tá morando no Brasil e escrevendo no site da Companhia das Letras.

Filme: Ainda não vi nenhum deles mas dois dos meus diretores favoritos lançaram filme novo esse ano: o Paul Thomas Anderson com “The Master” e Martin McDonagh com “Sete Psicopatas“. Chuto que vá ser um desses.

Seriado: Me diverti bastante com a temporada de estreia do The Newsroom, mas o que foi lindo mesmo, pra mim, foi essa mini-temporada de Breaking Bad. Todos episódios foram grandiosos.

(REDESCOBERTAS)

Disco

:Nilsson Schmilsson” do Harry Nilsson ou qualquer coisa que tenha o Harry Nilsson. Outro dia eu tava bêbado e elogiei a voz do compositor de uma maneira quase erótica.



Livro

: A Confenderacy of Dunces, sem dúvida alguma. Terminei o livro do John Kennedy Toole já o colocando nos meus favoritos da vida. Nunca tinha rido tanto em voz alta lendo um livro e nunca tinha visto um livro com tanto sotaque (no caso, de New Orleans). Bom demais.

Filme: Vi vários filmes ótimos dos anos 2000, mas acho que para entrar em redescoberta a criança tem que ter pelo menos umas duas décadas de vida. Esse ano eu vi O Rei da Comédia, do Scorsese, pela primeira vez e entrou nos meus favoritos do diretor e da vida. Humor negro e DeNiro impecável. Não me batam, mas eu talvez goste mais desse do que dos Bons Companheiros.



Seriado: 

Comecei a ver The Wire esse ano e acredito que isso seja informação suficiente. The Wire te faz uma pessoa melhor. Não por propagar o bem, mas porque tu vai estar tão ocupado tentando entender as dezenas de histórias paralelas que não vai ter tempo de fazer mal a ninguém.

OS MELHORES DA Niege:

Disco: Fico com o Blunderbuss, o primeiro disco solo do Jack White. O motivo? Jack White, oras.

Livro/HQ: Ainda nem coloquei minhas mãos nele, mas aposto no Building Stories do Chris Ware, que pelo o que eu vi até agora é incrível.

Filme: Ainda tem vários que não consegui assistir, mas por enquanto fico com o Looper, porque filme que tem assassinos de aluguel já ganha pontos comigo, e esse filme tem isso E viagem no tempo. Também gostei do Moonrise Kingdom, que além de ser lindo (obviamente, sendo que é do Wes Anderson) é bem divertido e tem uma trilha massa.

Seriado: Mesmo que tenha sido curta, eu adorei a temporada de Breaking Bad (YEAH BITCH! MAGNETS!), mas como o Vinícius já citou essa, eu fico com Homeland: logo nos primeiros episódios dessa segunda temporada eu fiquei eufórica gritando com a tela.

(REDESCOBERTAS)

Disco: 2012 foi o ano onde eu ouvi muito Divine Comedy, adoro músicas com orquestra e tudo isso que  às vezes chega a parecer música de musical (falando nisso também ouvi bastante a trilha sonora dos Produtores, mas preferi não dar destaque para poupar vocês dessa).

Livro/HQ: Descobri o Mr. Peanut, do Adam Ross, lançado em 2010. A história é sobre a morte de Alice, causada pela ingestão de vários amendoins (aos quais ela era alérgica). O principal suspeito é o protagonista e marido dela, David. Eu curti o jeito que a trama foi construída, sem falar que eu adoro assassinatos. Além disso, a história é visivelmente um tributo ao Hitchcock.

Filme: Finalmente vi 12 Angry Men (não me julguem, sou jovem) e entrou para os favoritos da vida. Doze homens discutindo em uma sala o filme inteiro e tudo passa num piscar de olhos. O roteiro é incrível, quem gosta de diálogo chora purpurina.

Seriado: Não sei se para mim existirá algum ano que não seja ano de Larry David. Em 2012 eu revi todas as temporadas da brilhante Curb Your Enthusiasm (inclusive a do ano passado que ainda tava fresca na memória) e eu poderia fazer isso de novo agora.

OS MELHORES DA Mari:

Disco: Depois de ouvir pela primeira vez o Good Kid M.A.A.D City, do Kendrick Lamar, não fui capaz de parar de usar a expressão “Bitch, don’t kill my vibe”. Além disso, as músicas detonam demais. Também curti muito o Don L.

Livro/HQ: Que eu me lembre, li apenas três livros (um de poesia, um de autoajuda e uma HQ) publicados esse ano, não me sinto capaz de julgar todos os outros, mas admito ter curtido os três.

Filme: Indie Game. Apenas busque esse conhecimento.

Seriado: Eastbound and Down. Kenny Powers é o maior ser humano que já existiu.

(REDESCOBERTAS)

Disco: Dom Salvador e a abolição: Som, sangue e raça. Um dos melhores discos que ja ouvi nesta vida, pelamor. Além disso, curti tanto Vinícius que comecei a fazer capoeira.

Livro/HQ: Esse ano reli meu livro favorito, apenas para ter certeza que tudo seguia correndo da melhor maneira possível no mundo: Candido FTW. Além disso, Asterios Polyp (que li porque meu pai comprou um pra cada um dos filhos e deu. grande meu pai). E muita Hilst e Drumão, que moram no meu coração. Tinha esquecido daquela série Very Short Introductions, comprei mais alguns e curti bastante, também.

Filme: Bah, me dei conta que revi pelo menos 10 filmes incríveis de 2008. Vão dois: JCVD, apenas por ser a auto-paródia mais doce e bem bonita já feita pelo homem. Documentário: Examined Life, onde filósofos caminham e falam sobre coisas lindas e bestas (aka, vida).

Seriado: Como Seinfeld nem conta (lei é lei), fico com o Medieval Life, do Terry Jones.

OS MELHORES DA Desi:

Disco: Claridão - Silva, porque tem algumas canções muito bonitas e admiro muito o fato de ter sido gravado em casa. E Home Again, do Michael Kiwanuka. Pela qualidade desse album acho que o Kiwanuka vai nos brindar com várias criações ainda.

Livro/HQ: The Psychopath Test, do Jon Ronson. O Ronson escreve de uma maneira muito fácil de ler e sempre trata de assuntos que eu acho interessantes. Nesse livro ele estuda o universo de testes psicológios e diagnósticos de psicopatia. E Quiet, the power of introverts in a world that can’t stop talking, obrigatório para todos que se acham tímidos/introvertidos.

Filme: The Dark Knight Rises. Conclusão brilhante para a trilogia do Christopher Nolan. E Jiro Dreams of Sushi – melhor documentário que assisti esse ano

Seriado: Assisti a primeira temporada de Homeland esse ano e achei muito interessante. Claire Danes se transformou em uma ótima atriz

OS MELHORES DO Juliano:

Disco: Kendrick Lamar – Good Kid, M.A.A.D City (pela vibe friendly).

Livro: Habitante Irreal, do Paulo Scott. É do fim do ano passado, mas foi o mais perto que cheguei de 2012.

Filme: Intouchables. Não foi em 48 frames por segundo, mas tá valendo.

Seriado: The Newsroom. É bom, é curto. Enfim, foi uma baita semana.

(REDESCOBERTAS)

Disco: Earl Hines & Jimmy Rushing - Blues & Things, que é daqueles discos que tu não sabia que tinha baixado. É maravilhoso.

Livro/HQ: Tender is the Night – F. Scott Fitzgerald. Suave.

Filme: Some Like it Hot. Revi esses dias e tava até mais engraçado.

 

Um comentário para Nossos favoritos de 2012

  1. Nana disse:

    Chini, depois tu vai notar a presença espiritual dos personagens de The Wire do teu lado, como anjos da caotização e da malandragem from the hood. No mais, boas listas.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>