Comportamento Comunicação Tecnologia
26 de março de 2013 por andre

5 LIVROS QUE VOCÊ PRECISA LER

Cultura digital, cognição, curadoria, excesso de informação, design thinking são temas cada vez mais presentes no nosso cotidiano. Parece que sempre que começamos a falar sobre qualquer assunto, de alimentação à tecnologia, esbarramos nas transformações que tais assuntos representam. Pensando nisso, resolvi fazer um compilado de 5 livros atuais que: 1, nos ajudam a entender melhor tais temas e as transformações que provocam; 2, nutrir a cabeça e o coração; 3, entender que diabos está acontecendo com o mundo. Em meio a tantas abas e níveis do candy crush, é fato que fica cada vez mais difícil lermos livros. Infelizmente este post não é uma receita milagrosa para que você consiga ler mais, mas uma promessa de que se você ler ao menos um livro destes, se sentirá mais consciente sobre as mudanças que estamos vivendo.

1. THIS WILL MAKE YOU SMARTER, John Brockman

Há mais de 30 anos o editor e escritor John Brockman fundou um clube chamado Reality Club. O objetivo era trocar inspirações com pessoas de diferentes áreas do conhecimento, basicamente aprender. Em 1997 esse club evoluiu para o Edge.org, o blog mais inteligente da internet segundo o The Guardian e Brockman passou a ser mais conhecido como “empresário cultural” ou “enzima intelectual”. Em 2011, Brockman provocou mais de 100 pensadores a responderem à pergunta: “Qual conceito científico melhoraria as habilidades cognitivas de todo mundo?”. Importante resaltar que “conceito científico deve ser compreendido como um termo amplo, relativo à ideias e aprendizados de qualquer disciplina. O resultado disso é o This Will Make You Smarter, livro que bateu a marca de best seller #1 na Amazon. Em 2012 Brockman lançou This Explains Everything, livro com um princípio semelhante em que 192 pensadores apresentam teorias profundas [e elegantes] para explicar como o mundo funciona.

Por que você precisa ler? Porque o livro reúne temas e pontos de vista que ajudam a sofisticar o pensamento e inclusive a apreciar o contexto líquido em que vivemos hoje. Textos como o do Daniel Kahneman sobre “A ilusão do foco”, Nicholas Carr e “Como gerenciar o excesso cognitivo” e mesmo Jason Zweig sobre “Serendipidade Estruturada” são a prova disso. Mas dentro de um mosaico tão heterogêneo de ideias e pensadores, o que me parece mais forte é a importância do olhar plural, do cruzamento de disciplinas, da nossa capacidade de combinar arte e ciência.

Um trecho incrível: Em seu texto “To Curate” [algo como "curar", ato de desenvolver uma curadoria], Hans Urich Obrist, curador da Serpentine Gallery em Londres, também conhecido como HUO, fala da importância de enxergar esse conceito de maneira mais ampla em tempos de excesso e até certa banalização do termo. Apesar de breve, é muito elucidativo: “o curador não é mais entendido como a pessoa que simplesmente preenche um espaço com objetos, mas também como a pessoa que coloca diferentes esferas culturais em contato, cria novas formas de exibição e faz junções que resultam em encontros inesperados. [...]  este tipo de ligação é uma parte essencial do significado de curadoria, uma vez que dissemina um novo conhecimento, um novo pensamento e novas obras de arte que podem semear futuras inspirações multi-disciplinares.”

2. BORN DIGITAL, John Palfrey and Urs Gasser

O livro dos professores John Palfrey e Urs Gasser traça uma perspectiva sociológica sobre quem é a primeira geração que nasceu em um contexto 100% digital [nascidos pós 1990] e quais os impactos deste fenômeno para a nossa cultura, política e até valores familiares. Os autores também desenvolveram o Digital Natives Project, iniciativa em parceria com o Berkman Center for Internet & Society na Universidade de Harvard para entender e dar suporte à pais, professores e aos próprios nativos digitais. O projeto produz diversos materiais como o Digital Dossiers, vídeo que circulou há um tempo atrás sobre a quantidade de dados públicos que já existe sobre pessoas que ainda nem atingiram a maioridade:

Por que você precisa ler? Porque o livro vai muito além do embate analógicos VS digitais ao propor questionamentos relevantes para o desenvolvimento desta geração hoje e seus impactos no amanhã. Por exemplo: qual o significado de IDENTIDADE para uma geração que possui diversos avatares? PRIVACIDADE é uma questão relevante? Qual o conceito de SEGURANÇA em um mundo 100% on? Qual o impacto da linguagem dos games e da internet nas tarefas cotidianas, no aprendizado e na criatividade? Qual o futuro profissional, social e psicológico dessa geração?

Um trecho incrível: “Nativos digitais estão vivendo mais em redes públicas. A consequência é que as versões da identidade de uma garota nativa digital serão compartilhadas em um contexto – talvez um contexto semi-particular como um grupo fechado em uma rede social ou uma ilha no Second Life – são possivelmente combinadas com outras versões de sua identidade em outros contextos. [...] Quando ela troca uma plataforma por outra, sua identidade antiga não morre, mas se torna parte da sua complexa noção de sujeito, ao menos a que é percebida pelo outro.”

3. THE INFORMATION DIET, Clay A. Johnson

Após alguns anos trabalhando com política em mídias sociais – Clay Johnson é mais conhecido como estrategista central da campanha online de Barack Obama em 2008 -, e tentando diferentes dietas para perder peso, o autor chegou a uma associação muito lúcida: estamos lidando com a informação da mesma forma que os obesos re relacionam alimentos. Somos consumistas, escolhemos o saboroso ao nutritivo e, além de tudo, culpamos a própria comida, ou melhor, a informação.  Por isso, Johson propõe que o nosso problema não é excesso de informação (“information overload”) mas sim um consumo excessivo e pouco consciente da informação (“information overconsumption”). O vídeo-trailer do livro dá uma ideia bem deste ponto de vista:

Por que você precisa ler? Porque o livro trata o consumo de informação de maneira lúcida e menos extremista que o Nicholas Carr em “O que a Internet está fazendo com os nossos cérebros – Geração Supercifial”. Além disso, The Information Diet traz ainda algumas propostas e ferramentas para ajudar a melhorar o consumo diário de conteúdo, bem como nossa própria produtividade.

Um trecho incrível: “É bom desconectar – todo mundo precisa de boas férias. Mas desconectar-se , “sabáticos da internet”, “férias das mídias sociais” e “faléncias dos emails” são formas de evitar o verdadeiro problema: nossos hábitos ruins. Pergunte a qualquer nutricionista e eles lhe responderão que uma dieta não se trata de parar de comer, mas de mudar seus hábitos de consumo.”  “Vamos começar devagar. Tente trabalhar em períodos de cinco minutos com intervalos de um minuto ao longo dos quais você pode fazer qualquer coisa – abrir o Facebook, olhar o twitter ou checar mensagens no celular – tudo, menos ver seus emails. Ao longo de uma hora, tente trabalhar nesses ciclos cinco vezes e então pause seu cronômetro. Levante-se e alongue suas pernas, vá ao toalete. Lembre-se: ficar sentado está lhe matando.”

4. A WHOLE NEW MIND: WHY RIGHT-BRAINERS WILL RULE THE FUTURE, Daniel Pink

O livro do Daniel Pink é o mais antigo da lista [2006], mas acredito que continue sendo muito inspirador para  entender um mundo que valorizará, cada vez mais, a capacidade criativa do indivíduo. Ao longo de suas pesquisas sobre a chamada “Era Conceitual”, o autor destaca as 6 habilidades fundamentais para o sucesso profissional e satisfação pessoal em um contexto de liquidez e incertezas: Design, Narrativa, Sinfonia, Empatia, Lúdico e Significado.

Por que você precisa ler?Porque o entendimento das habilidades criativas apresentadas por Daniel Pink te ajudam a entender a importância de conceitos como transmedia, intuitividade, imagetelling, design thinking e até o famigerado storytelling. Abaixo um mindmap muito simpático sobre os conceitos do livro:

fonte: Austin Kleon

Se você não viu, também vale assistir a visão do autor sobre motivação, pesquisa que ele explora em seu livro Drive. Aqui o mapa visual ilustrado pela Cognitive Media:

Um trecho incrível: “Três forças estão inclinando as estatísticas a favor do pensamento com o lado direito do cérebro. Abundância atendeu às necessidades materiais – e até as ultrapassou -, de milhões, aumentando o significado da beleza e acelerando a busca individual por significado. A Asia passou a desempenhar grandes quantidades de trabalho rotineiro, de colarinho branco, direcionado pelo lado esquerdo do cérebro através de custos cada vez mais baixos, forçando ‘trabalhadores do pensamento’ a dominar habilidades que não podem ser entregues por aqueles que estão do outro lado do oceano. A Automação passou a afetar o trabalhadores de colarinho branco da mesma forma que afetou trabalhadores de colarinho azul, forçando profissionais guiados pelo lado esquerdo do cérebro a desenvolver aptidões que computadores não possam  fazer melhor, mais rápido ou mais barato.”

5. O PODER DO HÁBITO, Charles Duhigg

Injustamente classificado como auto-ajuda no Brasil, o livro do jornalista Charles Duhigg traz um profundo trabalho investigativo sobre pesquisas e estudos científicos sobre a formação dos hábitos. Além disso, Duhigg também reuniu exemplos inspiradores de instituições e empresas que foram capazes de transformar hábitos individuais para aumentar sua relevância.

Por que você precia ler?  Porque o autor conseguiu simplificar a formação de um hábito em um esquema simples e direto, que pode inclusive ser adaptado a diferentes situações, sem ser simplista. Enquanto discute-se força de vontade e ideais de felicidade, Duhigg argumenta que o coração dos sucessos e fracassos é o entendimento científico e psicológico dos hábitos. O trailer do livro explica isso de forma mais didática:

Um trecho incrível:“Economistas e administradores estão acostumados a enxergar empresas como lugares idílicos em que todos são comprometidos com um objetivo comum: gerar a maior quantidade de dinheiro possível. No mundo real, não é assim que as coisas funcionam. Em- presas não são grandes famílias nas quais todos colaboram juntos e felizes. Na verdade, a maioria dos locais de trabalho são feudos em que executivos competem por poder e crédito, geralmente através de táticas secretas para fazer com que suas performances pareçam superiores às dos seus rivais. Departamentos competem por recursos e sabotam outros departamentos para roubar sua glória. Chefes colocam seus subordinados uns contra os outros para que ninguém seja capaz de arquitetar um golpe de estado. Empresas não são famílias. São campos de batalha em guerra civil. Mas apesar dessa capacidade de gerar estados de guerra, a maioria das empresas são relativamente pacíficas, ano após ano, porque elas possuem rotinas – hábitos – que geram tréguas capazes de isolar rivalidades durante tempo o bastante para que o trabalho seja feito.”

This Will Make you Smarter, Born Digital, The Information Diet, A Whole New Mind e O Poder do Hábito. Em uma primeira camada, esses 5 livros são investigações  que nos ajudam inclusive a entender – e conceituar – o que está acontecendo no mundo ao nosso redor, principalmente no que diz respeito ao contexto digital. Mas também são livros que nos fazem refletir sobre o futuro do sujeito, das relações, do pensamento, do consumo de conteúdo, da tecnologia, das dinâmicas com marcas e produtos, das cidades e de diversos outros temas. Espero que você tenha uma boa leitura! Ah sim, se tiver um livro incrível para compartilhar, os comentários estão ai para isso.

19 comentários para 5 LIVROS QUE VOCÊ PRECISA LER

  1. nina disse:

    Eu sempre quis ‘roubar-emprestado’ o The Information Diet que ficava dando sopa lá na sala de Trends. Arrasou com esse post, André! Dicas valiosíssimas.

  2. Post sensacional!
    Não apenas pelo conteúdo, mas pelo zelo e vontade de convencer (convidar) o leitor para a leitura dos livros.
    Favoritei como exemplo para descrição de produto para e-commerce.
    Parabéns!

  3. Alessandra disse:

    O texto é muito interessante, como vários que li aqui. Só sugiro a correção da palavra ‘profissional’ na frase: “Qual o futuro proficional, social e psicológico dessa geração?”.

    • marimessias disse:

      Opa, falha nossa! Obrigada pelo aviso, já foi corrigido

    • andre disse:

      erro tenebroso, inclusive. Muitíssimo obrigado, Alessandra. Prometo que os livros não terão erros graves como esse. =P

  4. Luiz disse:

    Muito bom o post!

    Sobre versões em português, se não me engano, o do Daniel Pink já foi traduzido, apesar de estar em falta em todo lugar, como aqui na Saraiva (http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/1984565/o-cerebro-do-futuro-a-revolucao-do-lado-direito-do-cerebro).

    Quanto aos demais, não sei dizer…

    • Glauco disse:

      O A Whole New Mind não é publicado em português há 4 anos.
      Agora, só em inglês ou encontrar um usado mesmo.

  5. Lista excelente, mas pra mim faltou um livro importantíssimo:

    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/367765/inteligencia-emocional
    (o original é o da capa amarela clássica, não sei pq mudaram…)

    Ainda mais em um momento onde as pessoas no mundo estão TÃO obssessivas, cedendo TANTO aos apelos emocionais em geral, lidando com TUDO de uma forma estritamente emotiva, dando cada vez mais combustível às suas próprias emoções e usando o lado emocional/irracional guiar o raciocínio (erro terrível), esse livro, na minha opinião, é mais essencial do que todos os outros.

  6. Ariela disse:

    Adorei o post e as sugestões de leitura! Parabéns!
    E gostaria de aproveitar para compartilhar um título que estou lendo sobre consumo colaborativo e tem sido muito enriquecedor!
    ” o que é meu é seu” – Rachel Botsman e Roo Rogers

  7. alemoa disse:

    lindo andré! tudo que eu tava precisando antes de um feriado.
    arrasou :) )

    • andre disse:

      oi alemoa, aproveita muito! e comece pelo poder do habito que vendo no brasil e em português. =)

  8. Lucas disse:

    Otima selecão!! obrigado

  9. André disse:

    Assuntos que rendem um bom papo e cerveja!
    Maravilha, valeu mesmo.

  10. Felipe Rocha disse:

    Muito legal a lista!

    Ainda sobre esse assunto, eu acabei de ler o “64 Things You Need to Know Now for Then”, escrito pelo Ben Hammersley, editor da Wired UK, e vale super a pena também. De internet of things e smart city à impressão 3d e nanotecnologia :)

    http://www.amazon.co.uk/Things-You-Need-Know-Then/dp/1444728601

    • andre disse:

      Oi Felipe, que demais, não conhecia esse livro!
      poderia ter entrado nessa lista, não?
      =)

  11. Elisa Viali disse:

    Olá, pessoal!
    Para quem se interessou pelo livro Born Digital, ele já tem uma versão em português, chamada Nascidos na Era Digital. A obra foi lançada em 2011 pelo selo Penso Editora, local onde eu trabalho. ;-)
    Aqui tem mais informações sobre a tradução: http://www.grupoa.com.br/livros/psicologia-da-educacao/nascidos-na-era-digital/9788536324838#.UVSvADc2ceI

    Abraço!

    • andre disse:

      Muito obrigado Elisa!!!

      • Glauco disse:

        Alguém sabe se é boa a tradução ou se vale mais a pena em inglês?

  12. Rute disse:

    Gostaria de acrescentar um Livro a esta lista, livro que mudou minha vida e muito superior, na minha opinião, ao livro A Cabana:

    Uma incrível história, um final emocionante. Um livro que fará pessoas reverem conceitos e práticas. Uma passeio quase imperceptível, pelas escrituras sagradas. Um exercício de Fé e Amor à Deus, ao próximo, e a Vida!

    Trata-se do Livro Rabiscos de Deus – de Aluisio Nogueira – Editora Ágape:
    Rute
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=42139414&sid=77410215815917472983732711

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>