Comportamento Goody
21 de junho de 2013 por marimessias

Cura Gay (e o futuro que NÃO queremos)

Cara, tá foda, muito foda. Pensei em começar o texto de várias formas, pensei em ser elegante e educada, mas sinceramente, depois dessa semana com o que eu vi, vivi e senti nos corredores do congresso nacional não dá pra disfarçar.

A eleição do deputado Marco Feliciano (PSC_SP) é um tapa na cara da sociedade civil. Ele sozinho não pode nada, mas faz parte de um projeto de poder muito maior cuja finalidade é fazer o Brasil perder a sua democracia, perder direitos adquiridos e, se tornar um país-membro de uma sociedade medieval.  A eleição dele foi fraudulenta e vai contra o regimento interno e as normas da câmara. A estratégia é ocupar espaços institucionais nos três poderes e criar leis e políticas públicas dentro da moral fundamentalistas deles.  A chantagem, a ameaça e a violência são muito usadas por eles contra os manifestantes que como eu, vão até a Câmara dos Deputados quase semanalmente protestar contra essa sucessão de absurdos.

Mas, e a CURA GAY?! Assim ó, todos os parlamentares contrários aos absurdos desse cara se retiraram da comissão (junto com eles os projetos que estavam em pauta) e fundaram a Frente Parlamentar de Direitos Humanos e Minorias. Ficaram na Comissão de Direitos e Minorias da Câmara dos Deputados, apenas aqueles membros “convidados” pelo PSC para dar quórum para as votações. Então, o projeto da CURA GAY é um desses casos. Eles colocam em pauta qualquer absurdo que passa. Mas, calma isso não vai longe. Antes de virar lei, esse projeto precisa passar por outras duas comissões e depois, só depois de aprovado, vai ao plenário onde todos os deputados votam. Depois disso, se aprovado vai ao senado. E só depois disso é que vira lei.

O que eles querem com isso? É um interesse politiqueiro, daqueles bem baixo nível, visando as eleições de 2014. Como quem vota neles são pessoas em geral sem instrução e conservadoras, essas pessoas acham que o Marco Feliciano é um cara corajoso e muito competente. Além de muito cristão, afinal, propõem a cura daqueles que eles tanto abominam! Outro aspecto é que isso sendo parcialmente permitido, os caras da turma deles já podem criar “REDES DE CLINICAS” de internação para isso, pago com recursos do ESTADO. Ou seja, com o SEU DINHEIRO. É portanto, um “mercado” novo pra eles.

Outra coisa que me dá um nó no estômago é que esse projeto de CURA GAY está alinhado com as outras ações “vitoriosas” desses caras: estatuto do nascituro (bolsa estupro), internação compulsória e a ainda em pauta redução de maioridade penal.  É também uma afirmação do que o Pastor Silas Malafaia vem dizendo que a psicologia como tal, é uma pseudo ciência que para eles o que vale é uma “psicologia cristã”. Então, tem que ter uma física cristã, uma química cristã, uma engenharia cristã, é isso?! Eu te lembro que isso é uma tentativa de tirar a laicidade do estado e da própria ciência e, todas as vezes que a humanidade experimentou isso acontecem catástrofes e crimes absurdos contra a humanidade! Quer exemplos? Lá vai: Taliban, a inquisição medieval (mais de 100 mil mulheres foram queimadas vivas sem mais nem menos), regimes ditatoriais e por aí vai.. A religião não pode, nunca, jamais, interferir no Estado, ainda mais se este for um Brasil, com Estado Democrático de direito.

Galera, isso tudo não é só a institucionalização da homofobia, da misoginia, do preconceito e do medo. É também uma enorme porta para um sistema corrupto cujo o alvo é você. Pensa que ruim não poder amar quem você quer, não poder casar com quem você quer, não poder nem ouvir a música que você gosta. Pensa que se você discordar deles de alguma forma, o Estado comandado por eles vai até a sua casa e te prende, te amordaça e te violenta.

Como disse Nelson Rodrigues (ouvi isso da super Erika Kokay na audiência pública que participei na Comissão de Direitos Humanos no Senado Federal nessa semana):

“O absurdo perdeu a modéstia” e “está ousado”.

Te liga!

Esse texto é um depoimento da jornalista Letícia Perez, que já entrevistamos aqui e que segue na luta por uma sociedade mais igualitária (e menos burra).

4 comentários para Cura Gay (e o futuro que NÃO queremos)

  1. André disse:

    Que vergonha, vamos nos informar melhor, por favor!
    é só procurar que você vai ver que não tem anda a ver com “cura gay”. Veja bem, não estou dando a minha opinião sobre o assunto, se acho correto ou errado, é somente pela informação correta e esclarecimento!
    Sempre busco o ponto eletrônico e vejo muita coisa de qualidade, mas essa ai não deu…
    Um exemplo: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/voce-lera-que-comissao-aprovou-projeto-de-cura-gay-e-uma-falsa-noticia-e-aqui-se-explica-por-que/

  2. Anne disse:

    Galera, reforço o comentário acima. É um absurdo a falta de informação das pessoas a respeito desse caso da “cura gay”. É a comunidade gay toda e a sociedade num geral se tornando uma poderosíssima massa de manobra. A mídia divulgou isso de maneira propositalmente tendenciosa, ERRADA e o povo comprou.
    http://blog.jornalpequeno.com.br/linhares/2013/06/19/coisas-que-voce-deveria-saber-sobre-a-cura-gay-mas-a-preguica-nao-deixa/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=coisas-que-voce-deveria-saber-sobre-a-cura-gay-mas-a-preguica-nao-deixa

  3. Juliana Andrade disse:

    Pessoal melhor se informar antes de falar sobre a tal “cura gay”.Não estou aqui defendendo ninguém , apenas se informem antes.

  4. leticia perez disse:

    Gente, normalmente não respondo, mas como o PDC234/11 foi arquivado e o relator do próprio projeto, num surto por mídia espontânea reapresentou o mesmo com outro nome – mas texto igual -, segue aqui um conteúdo mais técnico e menos político do que a minha postagem ali acima. E, aviso aos navegantes: linkar a Veja como referência ta totalmente fora do mundo inteligente, também não vale link gospel. Se quer criticar, por favor, “se” ajude, faça uma crítica inteligente…senão, fica fácil demais. Um beijo e te liga!

    ARGUMENTOS 05 PONTOS TÉCNICOS, TEÓRICOS E FILOSÓFICOS CONTRA O PDC 234/11, O CURA GAY
    http://youtu.be/jVUl5UP9XlI

    1) INCONSTITUCIONAL, FERE AO ARTIGO 5º DA CONSTITUIÇÃO – está proposto na comissão errada, deveria ir para a comissão de constituição e justiça!

    2) LAICIDADE DO ESTADO – o principio diz que: “O Estado não tem paixão religiosa” e visto que o proponente e seus “defensores” são todos pastores de uma igreja fundamentalista, ferem este principio, pois trazem MOTIVAÇÕES e MÉRITO RELIGIOSO para o legislativo.

    3) DO ENTENDIMENTO DE SAÚDE DA OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE:

    Os artigos 3º e 4º que o PDC pretende derrubar dizem, respectivamente:

    Artigo 3º – “Os psicólogos não exercerão qualquer ação, que favoreça a PATOLOGIZAÇÃO de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão prática coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.”
    PARÁGRAFO ÚNICO – “Os psicólogos não colaborarão com resoluções que proponham tratamento de cura.”

    Artigo 4º – “Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes, em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica”.

    Como justificativa, o PDC 234/11 diz que AO RESTRINGIR O TRABALHO DOS PROFISSIONAIS E O DIREITO DA PESSOA RECEBER orientação profissional, extrapolou o ato normativo.

    COMO VOCÊ PODE LER: o sistema jurídico brasileiro, baseado filosoficamente no direto alemão (se vc for da área pode falar melhor que eu disso) entende que: o que não é proibido é permitido. Este PDC tenta, por meio de estratagemas retóricos discutir isso. Tipo, se a pessoa com sofrimento psíquico – ou EGO DISTONIA – chegar ao consultório do Silas Malafaia ou da Marisa Lobo (os chamados psicólogos cristãos, por exemplo) achando que deve se “CURAR”, eles, com essa resolução derrubada poderão ‘tratar” a pessoa dentro dos preceitos RELIGIOSOS FUNDAMENTALISTAS que praticam, deixando de lado o entendimento da ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE – OMS – que em sintonia com o Conselho Federal de Psicologia – CFP –de que HOMOAFETIVIDADE, HOMOSEXUALIDADE NÃO É, NÃO É DOENÇA e portanto, não é passível de CURA!!!
    A prática do psicólogo serve para auxiliar o individuo, por psicoterapia, a encontrar a EGO SINTONIA, ou seja, que faça o seu sofrimento em relação ao tema, sobre si mesmo, ser compreendido e ser ajustado dentro do que for mais adequado para o individuo através de SUA PROPRIA ESCOLHA!!!!
    Os psicólogos que tratarem do tema como passível de REORIENTAÇÃO, ou DOENÇA, estarão praticando um ato ilegal e serão passíveis eles próprios de perda de diploma. E, sinceramente, é o que todos nós esperamos que aconteça com todos os psicólogos –cristãos-fundamentalistas.

    4) TRATAMENTO – com a ausência de proibição para o tratamento, o mesmo está liberado e, finalmente, o mercado aberto para leilão. Assim como se abre uma discussão de admissibilidade de homofobia. Simples assim!

    5) Por fim, HOMOSSEXUALIDADE não tem cura, porque não é doença. Mas, HOMOFOBIA tem. O sentimento de sofrimento experimentado por muitos dos homossexuais não é uma escolha, pois vivemos em uma sociedade hetero-normativa e se você estiver fora do “padrão” e se sua escola, família e amigos forem educados neste viés, você sofre. Sofre com namoros fake, casamentos por obrigação e uma vida que não é sua. Portanto, educar, coibir e fazer frente à homofobia são sim ferramentas de tratamento legítimas que uma sociedade livre e o Estado Democrático de Direito nos permitem. Segue atento, segue lutando pelo teu direito e mais, ajuda teu amigo se ele está em sofrimento por causa disso. Dá apoio, carinho e até mesmo um espaço na tua casa se for preciso, porque vivemos tempos muito difíceis.

    E, finalizando, viva o artigo 5º da Constituição Federal!

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>