Categoria: Comunicação

Comportamento, Comunicação
20 de maio de 2013 por marimessias

Beardvertising

Homens com barbas épicas podem tentar renda extra através do Beardvertising, um serviço de mini outdoors em… é, barbas.

Sem mentira. A ideia foi da Lexington, uma agência do Kentucky e já tem até alguns clientes, como A&WEagle One.

O motivo? Segundo o criador, Whit Hiler: “Todos amam barbas”.

Te interessou? Rola ler mais sobre aqui.

Comente
Comunicação
09 de maio de 2013 por marimessias

Play Fanta

A Fanta criou uma campanha muito legal, direcionada ao público jovem.

Com um formato de storytelling digital bem inovador, a campanha conta a história de um grupo de jovens que embarca em uma missão para salvar o jogo. A narrativa, que é um tipo de HQ interativa misturada com game, pode ser conferida no site Play Fanta (ou na App Store, de graça) e se chama Saving the Source.

Comente
Comunicação
08 de maio de 2013 por Lucas Liedke

mimos pra quem bomba na web

Há algum tempo, o Klout se propõe a medir a influência das pessoas nas suas redes sociais (considere uma matemática que analisa likes, comentários, seguidores e reblogs de Facebook, Twitter, Instagram, Youtube, Foursquare e por aí vai). Apesar das muitas críticas sobre como calcular e qualificar esse tipo de informação, o Klout vem evoluindo. Criou uma plataforma de business e agora está aprimorando promoções para os nerds/bacanas que estão no topo desse concurso de popularidade.

A parceria que vem dando o que falar é com a American Airlines, que convida os maiores influenciadores (ou melhor, aqueles que tem score acima de 55) para conhecer os seus lounges Admirals Club em 37 aeroportos ao redor do mundo (sim, Guarulhos tá nessa). Wi-fi, drinks, snacks e bons banheiros, e por favor, não se esqueça de mencionar a gentileza da AA nas suas redes sociais.

Comente
Comportamento, Comunicação, Design
07 de maio de 2013 por andre

Brand Thinking: por que nos definimos através das coisas?

“A versão moderna da introspecção é a soma total de escolhas altamente individualizadas que fazemos sobre o conteúdo material de nossas vidas.”

Na semana passada a escritora, educadora e designer Debbie Millman relançou um livro que vale a pena comentar. Brand Thinking and Other Noble Pursuits é um ensaio provocador sobre a íntima relação do sujeito contemporâneo com os bens materiais, uma dinâmica segundo a qual o sentido da vida está psicologicamente ligado ao que consumimos, das roupas aos livros.

Em um primeiro nível, a proposta do livro é interessante porque o tema é extremamente atual. Apesar de tantas discussões sobre propósito, elevação e até o começo de uma era pós-consumismo, também nunca vimos tantas marcas se associando à felicidade e à realização. A obra traz alguns conceitos pertinentes para a discussão, como:

“A razão pela qual continuamos a reatualizar a imagem de tantas coisas é o fato de que somos uma espécie com um incessante apetite por reafirmar os sentimentos de segurança e nostalgia que objetos antigos nos trazem. Ao mesmo tempo, também possuímos um desejo eterno de injetar uma novidade que nos seduza a um engajamento contínuo com a experiência.”

Debbie fez um extenso trabalho investigativo sobre a relação do homem com produtos e o surgimento da cultura da marca. Para isso, entrevistou especialistas de diferentes áreas do pensamento para gerar uma análise crítica mais profunda e heterogênea. Os nomes entrevistados por ela são a segunda razão para prestar atenção no livro: o escritor e crítico cultural Daniel Pink – autor do sensacional A Whole New Mind, do qual já falamos aqui; o blogueiro, autor e guru da tecnologia Seth Godin; o jornalista e autor de best-sellers Malcolm Gladwell; e Dori Tunstall, antropóloga e designer conhecida por sua lucidez no estudo da criatividade e na visão do design como ferramenta da democracia.

Para encerrar, um quote provocador do Malcolm Gladwell sobre escolhas materiais como sinônimos de atos políticos:

Nossas escolhas materiais não são mais algo trivial. Elas estão entre as escolhas mais importantes que fazemos. E elas possuem consequências que vão muito além dos nossos próprios sujeitos – elas possuem consequências globais. Consequências na nossa economia, na comunidade em que vivemos. Quando você come um hamburger do McDonald’s, você está dando um voto para um certo tipo de agricultura e para um determinado cenário climático. De certa forma, tudo que fazemos representam escolhas de um certo tipo de mundo. 

[...]

As coisas que as pessoas decidem mostrar inevitavelmente geram um tipo de inércia. Em um mundo no qual dispomos de recursos extraordinariamente eficientes de comunicar e exibir, a pergunta ‘quem é você?’ torna-se incrivelmente complicada. Acredito que marcas sejam parte disso. Quando você se cerca de determinados tipos de objetos, eles se tornam uma declaração pública de quem você é. 

via brainpickings

5 Comentários
Comunicação, Design
19 de abril de 2013 por marimessias

The Track

Tênis de corrida da Nike suspensos em torno de uma pista iluminada, como se estivesse sendo usados por atletas invisíveis. Essa á a instalação criada pelo Studio-at-Large que está em exposição na região mais artsy da China, o 798.

A instalação faz parte do evento de lançamento da linha Nike Free.

Comente
Comunicação
18 de abril de 2013 por nina

O lucro das palavras doces

Você compra o produto ou sua propaganda?

A maioria de nós é, obviamente, impactada pela força das palavras de um anúncio muito mais do que a oferta em si. Principalmente quando um comercial consegue arrancar emoções, sorrisos e risadas (como as campanhas do sabonete Dove e da Coca-Cola).

Com isso em mente, os publicitários Will Ferrari Júnior e Alexandre Freire resolveram impactar o cotidiano das pessoas através de palavras bem-humoradas em um negócio que, até então, nunca teve interesse publicitário: os vendedores de balas nos semáforos.

Os publicitários desenvolveram diversas frases irreverentes e ilustradas afim de chamar a atenção dos motoristas e passageiros para Thiago Martins Silva e suas balas, vendidas em um semáforo no Butantã, na zona oeste de São Paulo.

Normalmente Thiago vende cerca de 250 pacotinhos de balas em 5 horas. No dia do teste, que ganhou o nome de “Candy Project”, ele vendeu tudo em menos de três horas. Confira o vídeo:

Comente
Comunicação
16 de abril de 2013 por marimessias

Retrato (falado) da beleza real

Isso é muito triste, mesmo. Apenas 4% das mulheres do mundo se acham bonitas. O estudo foi feito pela Dove com mais de 6 mil mulheres ao redor do mundo, com idades entre 18 e 64.

Preocupados com esse padrão, onde meninas que se acham (e são) lindas crescem para se tornar mulheres lindas que se acham feias, a marca criou o documentário Retratos da beleza real, aí de cima.

No documentário a marca convidou um artista forense com 28 anos de carreira, daqueles que fazem retratos falados,  para desenhar as mulheres segundo elas achavam que se pareciam e segundo um desconhecido as descreveu para o artista.

Os resultados são bem diferentes, claro. Siliga:

Lá no site tem muito mais vídeos, desenhos e conteúdo interessante em geral.

E, po, para com disso, você é linda <3

7 Comentários
Comportamento, Comunicação
12 de abril de 2013 por marimessias

A morte do paradigma do machão

Empatia, colaboração, paciência, vulnerabilidade e capacidade de ouvir são valores em alta, segundo uma pesquisa feita com mais de 64 mil pessoas ao redor do mundo.

A pesquisa é um dos norteadores do livro The Athena Doctrine: How Women (And The Men Who Think Like Them) Will Rule the Future, do jornalista ganhador do Pulitzer, Michael D’Antonio e John Gerzema, da Young & Rubicam.

E é por isso mesmo que a deusa grega Atena deu nome ao livro, já que ela se relaciona a um tipo diferente de força, mais conectado com coisas como inteligência e justiça.

Para eles, tudo isso está muito relacionado com o crescimento da voz e do poder feminino, em especial da mulher millennial, que seria mais próxima da deusa Atena aí de cima. Isso faz com que os valores associados ao paradigma do macho, como ser agressivo, arrogante, egoísta e dominante se tornem ultrapassados (aliás, já falamos sobre esse novo modelo profissional aqui).

E, eles garantem, as empresas que não se ligarem nisso, vão perder espaço.

Ainda segundo o estudo, ao mesmo tempo que a confiança nas marcas caiu 50%, o apreço por aquelas capazes de ser empáticas e conectadas com os valores do mundo que vivemos subiu 400%! Mas não basta simular, tem que ser, já que as pessoas estão cada vez mais informadas.

E já que estamos falando sobre esse mundo mais heterogêneo, colaborativo e onde a mulher é vista e dita as regras, vale conferir o novo comercial da Bohemia, que da uma desdenhada bonita na ideia de que comercial de cerveja tem que ter mulher como produto, criando uma falsa cognição de que se adquirirmos um ganharemos o outro.

Bora lá, que demorou!

1 Comentário
Comunicação
10 de abril de 2013 por marimessias

Fiat+Porta dos Fundos

http://youtu.be/Gz2TCYPnVwQ

Depois do Spoleto, foi a vez da Fiat se unir ao pessoal do Porta dos Fundos.

Comente
Arte, Comunicação
08 de abril de 2013 por Lucas Liedke

Recalling 1993

O New Museum e a ilustre agência Droga5 fizeram uso de simplesmente 5.000 telefones públicos para promover a exposição NYC 1993: Experimental Jet Set, Trash and No Star, atualmente em exibição no museu. A ação (que está mais para intervenção de arte pública e urbana) apresenta milhares de histórias e relatos sobre como eram as coisas há 20 anos atrás nos mais diferentes lugares da ilha. O truque temporal e analógico do projeto, sabiamente batizado Recalling 1993, está bem longe da necessidade de GPS. Basta ligar para 1-[855]-FOR-1993 do bom-e-velho orelhão mais perto de você.

 

1 Comentário